Home / Estética  / Criomodelagem trifásica: o avanço da criolipólise no Brasil

Criomodelagem trifásica: o avanço da criolipólise no Brasil

  Em 2016, durante o 24° Congresso Científico Internacional de Estética, foi apresentado um novo método de cripólise no Brasil: a Criomodelagem trifásica, com resultados mais rápidos para total modelagem e contorno corporal A Criomodelagem trifásica é

 

Em 2016, durante o 24° Congresso Científico Internacional de Estética, foi apresentado um novo método de cripólise no Brasil: a Criomodelagem trifásica, com resultados mais rápidos para total modelagem e contorno corporal

A Criomodelagem trifásica é um método exclusivo que reduz em até 60% a gordura subcutânea em menos tempo que os demais procedimentos. A técnica associa a criolipólise às tecnologias da laserlipólise e ondas de choque para resultados mais rápidos e eficazes para emagrecimento, redução e modelagem do contorno corporal.

De acordo com a Dra. Michele Fernandes, sua procura tem crescido muito, principalmente para mulheres que têm dificuldade de emagrecimento e buscam resultados express, com pouco tempo para tratamentos convencionais. “Os primeiros resultados já aparecem com uma semana e a redução da espessura de tecido adiposo chega a até 60%, no máximo, em até 60 dias após o procedimento”, sintetiza a fisioterapeuta e esteticista.

Como é feito

Inicia-se o procedimento com 20 minutos de laserlipólise para ativar o metabolismo local antes da criolipólise, mobilizando o tecido adiposo subcutâneo e preparando a prega de gordura para congelamento. Além disso, a laserlipólise que ocorre pré-criolipólise protege o tecido contra possíveis queimaduras.

Após a etapa, é dado início imediato à criolipólise, a fim de congelar por 60 minutos a prega de gordura e assim inativar os triglicerídeos e levar o adipócito à apoptose em até 30 dias após o procedimento. Em seguida, são utilizadas as ondas de choque em cima da prega congelada com o objetivo de aumentar a liberação de óxido nítrico que leva a reperfusão do tecido. A diferença da pressão intracelular leva ao rompimento da membrana e, com isso, ocorre a morte da célula adiposa.

Deixe seu comentário
Visão geral da revisão
Sem comentários. Seja o primeiro a comentar.

Desculpe, o formulário de comentários está fechado neste momento.